Conversão01 - FotoMBoe

Novembro/2019
“Fotografar é saber 'OLHAR'!”
Nove anos no ar!
Iniciado em: 01/10/2010
Novo visual e facilidade de acesso!!!
Ir para o conteúdo

Conversão01

Monocromia
Conversões 01 Parte 03
Por Vivaldo Armelin Jr.
• Esta proposta é para que seja possível fazer uma comparação entre a foto colorida e a conversão para monocromia.
• Para estes exemplos usamos o programa grátis Paint.Net, portanto todas as conversões foram feitas nele, inclusive para escala de cinza.
• Outras cores e tons poderiam ser usadas para a conversão, mas para não carregar muito o espaço de visualização comparativa, optou-se por estas quatro cores.
• Observar que a cada cor monocromática a leitura da imagem é diferente, condição que provoca novas sensações, inclusive em relação à imagem colorida (original).
• Lembrando que o sépia é parte da escala monocrômica.
Nota importante: O preto, branco e os tons de cinza não são cores, são neutros, portanto fotografias em escala de cinza (aquelas que erroneamente são denominadeas de preto e branco) e o próprio preto e branco não são monocromias!
• Neste segundo comparativo, a imagem em escala de cinza é o centro das atenções, comparada às mesmas imagens monocrômicas do exemplo anterior.
• Como cada imagem proporciona uma leitura, é importante preservá-las para que seja possível, mais tarde, fazer novas análises, criar quadros em sequência, fazer apresentações ou até vídeos.
• Não ter medo de experimentar, ousar e concretizar um trabalho, é levar ao aprofundamento do conhecimento fotográfico.
• Escala de cinza não é monocromia porque não é cor!
• Aqui o comparativo leva-nos não apenas a uma nova leitura e sensação visual, mas também a novas concepções na análise de uma imagem, pois a principal é em Preto & Branco, não existem tons de cinza para formar o volume, definir as formas, entre outras condições.
• O preto, branco e o cinza não são cores, como já foi destacado em outras oportunidades neste site. Também não são cores neutralizadas. Quando é denominado erroneamente uma imagem em escala de cinza como sendo P&B, está se cometendo um grave erro, mas este se popularizou, como o erro de chamar o preto, branco e cinza de cor.
• A monocromia e o preto & branco se contrapõem, por essa razão as mesmas imagens colocadas lado a lado geram grande atenção daquele que a visualiza.
• Boas experiências e realizações!
• Foto em preto e branco não é monocromia, pois não é uma cor!
Exemplo – I
Por: Vivaldo Armelin Júnior
• Esta subseção do Site FotoMBoé apresentará exemplos de imagens convertidas para monocromia e nesses apresentaremos as possibilidades de conversão. Nem toda imagem produz bons resultados quando convertida. Nem sempre a cor escolhida é a melhor opção, por essa razão é importante fazer testes.
• Como já destacamos vários softwares pagos e também os grátis e livres fazem a conversão com qualidade.
• O objetivo é proporcionar exemplos para que você visitante possa analisar as imagens antes de fazer a sua conversão.
• Não há como dar uma receita pronta e definitiva, pois a conversão para determinado cor dependerá da áreas de contraste, brilho, das formas, da perspectiva e profundidade, da profundidade de campo, por exemplo.
• Uma das imagens apresentadas será convertida em mais de uma cor para que seja possível uma melhor comparação quanto ao resultado.
• A primeira imagem, acima e à esquerda, em monocromia púrpura ganha em brilho e contraste, condição que valorizam as formas e a perspectiva. Por sua vez, a mesma imagem convertida para o azul perde nesses itens, por essa razão, é preciso testar cada imagem.
• O IrfanView tem a opção de metalizar (em monocromia) a imagem, como o exemplo acima. Os resultados são interessantes e bons para impressão.
• Essa imagem acima tinha a predominância do verde, quando da conversão usou-se a cor marrom, pois ela proporcionou maior dramaticidade.
Outros exemplos
• Como você percebeu, não é necessário ter um equipamento sofisticado para que seja feita a conversão para a monocromia, esta inclusive poderá melhorar uma imagem desinteressante.
• Boa pesquisa e bom trabalho!
Conversão para o Sépia 01
Por: Vivaldo Armelin Jr.
• Alguns equipamentos compactos tem esta opção, mas são poucos, pois a monocromia ainda não despertou o interesse da maioria que fotografa, amadores e até profissionais.
• Por essa razão, a conversão para monocromia é quase que obrigatória via software. Usamos dois softwares grátis e dois pagos, mas não caros, para mostrar as diferenças de tonalidades na conversão para o sépia.
• Isso ocorre porque cada desenvolvedor de software tem um método para a conversão e não existe um acordo para unificar o tom. Nenhum deles está errando, muito ao contrário, todos se propõem a diferenciar e valorizar a imagem em tons de sépia.
• O equipamento compacto que tem este modo produzirá uma imagem melhor do que a conversão via software. Os grandes softwares pagos e muito caros também fazem este tipo de conversão, porém não é preciso gastar nenhum tostão, pois os grátis, como os dois que apresentamos nesta seção, suprem com qualidade, o único porém é a impossibilidade de ajuste manual, o mesmo vale para os dois pagos, ou seja, todos automáticos.
• As imagens convertidas poderão ser impressas em papel, ampliadas, usadas na internet, em publicações etc.
• Um book em sépia pode dar muito destaque ao modelo, humano ou não, vivo ou não, basta que o fotógrafo saiba visualizar a imagem durante a composição em sépia, condição comum à escala de cinza (não é Preto & branco) e o P&B.
• O olhar é quem determina se uma imagem poderá ser capturada em sépia ou convertida para o sépia.
• Uma possibilidade interessante é fazer a captura em escala de cinza e depois converter a imagem em sépia.
• Veja abaixo as diferenças e qual lhe mais agrada. faça testes com outros softwares, como, o Gimp, PhotoShop, LighRoom, PhotoFiltre, PhotoScape, Picasa etc.
• Boa experiência e trabalho.
• Convertido pelo visualizador IrfanView (grátis/freeware).
•  Convertido pelo software Ashampoo Photo Commander (pago, mas de baixo custo).
• Foi usado o Corel PaintShop (pago, mas não muito barato) para esta conversão.
• Por fim, usamos o Paint.Net (um software grátis).
Uma cor, vários tons II
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Abr./18
• Nesta matéria são apresentadas duas imagens produzidas em cores e depois via software convertidas para monocromia, para tal ação foi usado o Corel PaintShop (licenciado). É uma ação simples e automatizada.
• O curioso é a qualidade da imagem antes e depois da conversão. A conversão também pode produzir imagens mais tênues, suaves, como ocorreu com a segunda, criando um ar de fantasia. Já a segunda, com uma moldura, além da monocromia em azul, destacou-se a vista, impedindo que o olhar fugisse da imagem.
• São duas conversões diferentes e interessantes, com elas pode-se criar apresentações, imprimi-las em papel, colocar como papel de parede, enquadrá-las...
• Bom trabalho!
Uma cor, vários tons I
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Mar./18

• Quando se fala em monocromia alguém pode não entender e até afirmar que não gosta desse tipo de imagem, mas acaba mudando de opinião ao ver uma imagem monocromática interessante e que chamou a atenção.
• A conversão da imagem colorida deve ser bem analisada, pois nem todas produzem resultados interessantes. É preciso fazer essa análise no momento da captura fotográfica ou na pós-produção. O olhar é a chave para um bom resultado final, quando se escolhe a cor ideal para aquela conversão.
Quem não tem experiência deve fazer experiências com várias cores e a cada ação "Salvar como..." com outro nome para poder comparar cada uma das imagens teste e preservar a original.
• Vejam esta sequência de imagens convertidas, a partir desta imagem à direita, a original.
• Acima a mesma imagem convertida para escala de cinza sem nenhum outro ajuste, uma imagem desinteressante e pouco atrativa. Caso o contraste fosse aumentado ou as áreas de luz e sombra poderia melhorá-la.
• Para a conversão é importante escolher um software que tenha esta opção, foram usados para este exemplo os softwares pagos Ashampoo Photo Commander, Movavi Photo Editor e o grátis Photo Filtre. Outros softwares grátis: o Paint.Net e o livre e grátis Gimp. Os pagos:  Corel PaintShop e o ACDSee. O resultado em cada um dos softwares, mesmo trabalhando com a mesma cor, é bem diferente um do outro, tudo porque cada programador o faz de uma maneira diferente.
• Muitas vezes, em diferentes editores, uma conversão para o amarelo será produzida uma imagem mais para o próxima amarelado, mais intenso ou não, outro para o alaranjado, até com tons amarronzados.
• Boas experiências e bom trabalho!

SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS:

• Todos os direitos reservados! É proibido imprimir, copiar, distribuir (mesmo a título de gratuidade), encartar, reproduzir (por qualquer meio mecânico, eletrônico, digital, fotográficos, filme, e vídeo), sem a devida autorização fornecida por escrito pelo proprietário do Site FotoMBoé.com. Todas as imagens (desenhos, pinturas, ilustrações, fotografias, vídeos etc.), textos, slides show, galerias, apresentações (em Flash, exe, html etc.) foram produzidas por Vivaldo Armelin Júnior que é o detentor dos direitos autorais.
• É permitida a abertura exclusiva online, qualquer outra possibilidade é necessário autorização por excrito, como acima descrito. Contato por e-mail.

São Paulo - SP, Brasil
Voltar para o conteúdo