Entendendo01 - FotoMBoe

Outubro/2019
“Fotografar é viver dos acertos e erros!”
Nove anos no ar!
Iniciado em: 01/10/2010
Novo visual e facilidade de acesso!!!
Ir para o conteúdo

Entendendo01

Exemplo Prático > Enquadramento
Enquadramento 03
Por: Vivaldo Armelin Jr.
• O enquadramento está intimamente ligado ao plano, o contrário também é válido, pois a cada captura haverá um ângulo, plano e posição diferentes, para produzir resultados distintos. Nas quatro fotografias o elemento principal é fotografado em planos diferentes e para garantir o equilíbrio, uma iluminação semelhante, no momento da composição é necessário selecionar elementos que possam desequilibrar a imagem final, isso é enquadrar.

• Ao compor haverá um enquadramento, em outras palavras, enquadrar é colocar na área do visor ou tela de LCD, os elementos, objetos e modelos que farão parte da captura. Cada um dos enquadramentos contará uma história e trará uma mensagem, portanto, quem visualiza a imagem fará uma leitura, que poderá ser a mesma do fotógrafo ou completamente diferente daquela imaginada pelo fotógrafo.

• Para aprender a enquadrar é preciso fazer testes.

• Não importa a marca, tipo e o modelo do equipamento fotográfico, a técnica de enquadramento será a mesma, bem como as regras, mas essa última poderá ser quebrada ou desrespeitada, dependerá da ousadia do fotógrafo ou fotógrafa.
• É interessante que a leitura do ambiente por parte de um fotógrafo é diferente de uma fotógrafa, essa diferença de visão, a masculina e a feminina, é que garante a qualidade das imagens. Muitas vezes permitem leituras diferentes de um mesmo ambiente, por exemplo, essa é uma das riquezas que valorizam a fotografia, pois não é uma técnica exclusivamente masculina.
• A fotografia é uma Arte, é também uma Linguagem, portanto uma forma de expressão humana, de comunicação e de leitura. O modo de ver de um homem e uma mulher proporciona após a captura grandes discussões e não a mesmice de alguns anos atrás quando o homem era quase que o único a produzir fotografias.
• Quando fotografamos é preciso, não só conhecer as regras e o equipamento, mas ser sensível ao ambiente e ao modelo, não importando se o modelo é uma criança, animal, planta, alimento, joia etc. A sensibilidade é pessoal e intransferível, por essa razão, o enquadramento e a composição, mesmo quando estejam fotografando juntos.
• A leitura do meio, modelo, espaço, cor, textura ou volume, é individual, vai depender do momento, do estado emocional, da atenção, da vontade, e, também da iluminação, das áreas de claro e escuro, da gradação tonal e das cores, situações externas ao emocional do fotógrafo.
• Em um dia bonito, com céu azul, bem iluminado, dentro do horário de ouro, pode-se fazer uma captura tenebrosa, sinistra, não fotografando acidentes ou desastres, mas selecionando áreas com grande contraste, o contrário também é válido (em um dia nublado ou até de tempestade), por exemplo, a dramaticidade de um raio no horizonte, com céu escuro, mas contrastando com uma área mais clara.
• Nas imagens acima foi variado o plano e o ângulo, bem como a posição, nesse instante não comentaremos os ajustes, importantíssimo para uma boa composição, mas agora é o momento de entender o enquadramento.
• Essa variação permite uma análise mais completa do modelo, mesmo quando ele é parcialmente enquadrado. Um bom fotógrafo procura fazer capturas variadas de um modelo, no exemplo uma edificação, para que seja possível outras leituras quando da visualização. Olhar uma única foto de um monumento tem seu interesse, mas este é momentâneo, já a visualização de várias imagens em planos, ângulos e posições diferentes vai despertar a atenção daquela pessoa que a visualiza, seja quando se recorda uma viagem, numa exposição, em trabalho escolar etc.
• A cidade de Monte Alegre do Sul - SP, tem várias edificações em estilo colonial e é uma cidade pequena e bem agradável, não faltam motivos para uma boa captura. Essa igreja está localizada na praça central daquela localidade. Existe um morro que no seu cume tem a imagem do Cristo Redentor. O acesso pode ser feito a pé, bem puxado, mas também em veículo, lá no alto tem-se uma visão espetacular, de 360º. Uma câmera com um bom zoom óptico, por exemplo, uma superzoom, é possível fazer capturas interessantíssimas. Dependendo da hora do dia elas, as capturas, podem aproveitar a variação da luz, as áreas de luz e sombra, a sombra das nuvens etc. Vê-se a cidade e uma grande área rural.

• Bom trabalho, experiência e capturas!

• A sua distância em relação ao elemento a ser fotografado é a primeira referência a ser considerada. Depois a dimensão e o ângulo que você esteja. Por último, o tipo de lente de seu equipamento, 35 mm, 40 mm, 55 mm, por exemplo, pois quanto maior o valor em milímetros, menor será o campo de visualização ou a área de composição.

Enquadramento 02
Por: Vivaldo Armelin Jr.

• Retrato ou paisagem? Uma questão importante no momento da captura fotográfica. Por quê? Simples dependendo do seu objetivo é preciso preencher o quadro com a imagem total do elemento fotográfico, como no exemplo, a igreja.
• É preciso levar em conta os elementos que circundam o que será objeto da captura.

• A câmera utilizada para estas imagens foi uma Canon PowerShot A640 com lente fixa e zoom de 3X, com ajuste de velocidade de obturação 1/800 s, abertura do diafragma f4.0 e ISO 80 para a foto na posição paisagem e para a foto na posição retrato os ajustes são os seguintes: velocidade de obturação de 1/500 s, abertura de diafragma f4.0, ISO 80 e no modo "P".
• Imagem capturada em Serra Negra - SP, em dia ensolarado e muito calor, no período da tarde.
• Em nenhumas das duas fotografias foi utilizado o zoom óptico.
• Com a câmera na mão e em solo.
• Qualquer câmera com lente de até 55 mm poderá fazer uma imagem semelhante, seja ela zoom ou não.
• A imagem não foi editada. Foi feito um pequeno ajuste no brilho de ambas as imagens.
• As imagens em P&B foram convertidas com o programa Ashampoo Photo Commander 11.

• Nesta orientação e sugestão também adicionamos a mesma imagem em P&B (Preto & Branco), pois esta é um das variáveis possíveis para melhorar a qualidade da imagem obtida.
• Em muitas situações a imagem em P&B é a mais adequado e produz melhores resultados.
• A imagem na posição paisagem amplia o campo de enquadramento lateralmente, por sua vez, na posição retrato é aumentado o campo de composição na altura.
• A diferença de velocidade de obturação foi uma opção em razão da distância maior entre a câmera e o elemento (igreja) fotografado. Essa opção foi feita para garantir a mesma intensidade das cores das folhas das árvores.
• Uma imagem que poderia ser utilizado um tripé.
• As quatro imagens tiveram seu tamanho original reduzidos de 3648 x 2736 Pixel (resolução efetiva 10 MP) para 800 x 600 Pixel para que não fossem muito pesadas para a internet.

Enquadramento 01

Por: Vivaldo Armelin Jr.

O enquadramento é essencial para a qualidade da imagem e vai depender das intensões do fotógrafo. Quando se deseja uma imagem mais descritiva e de localização usa-se um plano mais aberto.

Ao selecionar os elementos que farão parte da imagem final é necessário já prever o equilíbrio entre todos os elementos do primeiro plano e do fundo, do contrário haverá perda de qualidade.

Esta imagem é descritiva e de localização, por estar em plano mais aberto, mas contém muitos elementos, mesmo os que estão ao fundo fora de foco, pois tiram a atenção do elemento em foco, o bote e a ave.
Isso não quer dizer que não é recomendado fazer esse tipo de imagem, como já destacamos acima vai depender das intensões do fotógrafo.

A câmera utilizada para estas imagens foi uma Canon EOS T4i, com lente zoom 28/85 mm, com ajuste de velocidade de obturação 1/500 s, abertura do diafragma f5.6 e ISO 100.
A imagem foi feita em Bertioga – SP, por volta de onze horas da manhã em dia ensolarado.
A imagem maior foi feita com o zoom em 45 mm. Já a imagem em plano fechado, abaixo, em zoom 85 mm.
Estava com a câmera na mão e em solo.
A mesma imagem poderia ser obtida com uma câmera compacta intermediária com zoom de pelo menos 5X.


Esta imagem é mais detalhada, aguçam as emoções, por ser em um plano fechado e zoom máximo possível com a lente usada.
O pequeno bote ganha destaque e o mesmo acontece com a ave, no entanto perde-se em descrição e localização.
Uma opção pós-captura é fazer recorte com ajuda de um software de edição e tratamento de imagem. O problema é que haverá redução do tamanho da imagem, consequentemente não haverá a mesma possibilidade de ampliação em relação à original.
Nesta imagem não aparecem nenhum dos elementos que interferem, desta maneira a água passa a emoldurar o bote e a ave em seu interior.
Ambas as imagens tiveram seu tamanho reduzido para compatibilizar com uma página da internet.

SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS:

• Todos os direitos reservados! É proibido imprimir, copiar, distribuir (mesmo a título de gratuidade), encartar, reproduzir (por qualquer meio mecânico, eletrônico, digital, fotográficos, filme, e vídeo), sem a devida autorização fornecida por escrito pelo proprietário do Site FotoMBoé.com. Todas as imagens (desenhos, pinturas, ilustrações, fotografias, vídeos etc.), textos, slides show, galerias, apresentações (em Flash, exe, html etc.) foram produzidas por Vivaldo Armelin Júnior que é o detentor dos direitos autorais.
• É permitida a abertura exclusiva online, qualquer outra possibilidade é necessário autorização por excrito, como acima descrito. Contato por e-mail.

São Paulo - SP, Brasil
Voltar para o conteúdo