Flash01 - FotoMBoe

Agosto/2020
Ir para o conteúdo

Flash01

Exemplo Prático > Temas A-J > Flash
Sem e com Flash durante o dia 01 • Com e sem Flash 01Flash e Difusor IIFlash I
Sem e com Flash durante o dia
Por: Vivaldo Armelin Jr - Jun20
• Muitos que fotografam não usam o flash durante o dia porque acreditam que ele foi feito apenas para uso noturno e de interiores, o que não é verdade, o flash pode ser utilizado a qualquer horário do dia e nesta matéria falarei um pouco sobre esta possibilidade, eu usei a Canon PowerShot A2500, uma câmera compacta com zoom óptico de 5x. Trata-se de uma câmera que está fora de linha, mas é bem útil, inclusive para quem desejar adquiri-la usada, mas cuidado, é importante saber o número de cliques e analisa-lo com o indicado pelo fabricante (Canon, Nikon, Sony, Fujifilm etc.), outra verificação importante é o estado de conservação do equipamento. Voltando a esta matéria, o flash em equipamentos compactos pode ser regulado em ferramenta interna, mas não são todos os modelos que o permitem.
• Primeiro, tenha cuidado com a distância, como já publicamos, haverá explosão de luz, como na matéria anterior, abaixo, denominada "Com Flash Direto". Segundo, tomar cuidado com os dedos afrente do flash. Terceiro, usar onde há grande contraste entre luz e sombra.
• Observe as capturas abaixo com cuidado para perceber as pequenas mudanças que melhoram a qualidade.
• Cuidado com o uso do zoom óptico, pois quanto mais longo ou menor campo de visão, será necessário maior quantidade de luz, como veremos nas duas últimas fotografias, com uso do zoom óptico. Se a distância de iluminação for maior do que a indicada pelo fabricante o resultado será como o da foto abaixo (duas primeiras), não haverá grandes diferenças, geralmente a distância de iluminação em equipamentos compactos é de três metros. As duas últimas capturas foram feitas sobre um tripé. Boas experiências e trabalho!
COM FLASH
SEM FLASH

Com flash direto

FOTO
Com flash

FOTO
Sem flash

• O flash integrado ou fixo das câmeras compactas não permitem desviá-lo para rebater em um teto, o mesmo acontece com o fixo das câmeras reflex. Ambas as imagens foram capturadas com a Canon PowerShot A640.
1. A primeira imagem, com a captura feita com o auxílio do flash, ocorreu a explosão de luz em razão da proximidade da câmera e o modelo.
• A explosão de luz desequilibra toda a imagem e destrói a principal área de interesse.
• O equipamento estava ajustado desta maneira: abertura do diafragma F2.8, velocidade de obturação 1/60 s, ISO 80 e o flash acionado.
• Para solucionar esse problema basta cobrir o flash com um pedaço de papel vegetal ou ceda, fixando-o com fita adesiva, mas esta não poderá sobrepor a área do flash.
• Essa técnica melhora a distribuição da luz, reduz sua intensidade e sua dispersão.
2. Já a segunda imagem foi obtida sem o uso do flash, condição que melhorou o resultado final. O foco foi dado nas pétalas criando um percurso visual circular.
• Sem o flash ganham força o contraste, a gama cromática, as formas, a textura, a profundidade de campo e a nitidez.
• O ajuste foi o seguinte: abertura do diafragma F2.8, velocidade de obturação 1/30 s, ISO 100 e o flash desligado.
• Nos ambientes internos o ISO pode ser ajustado para mais alto, mas não se esqueça de não utilizá-lo acima da metade do ISO total oferecido pelo equipamento caso desejar manter uma qualidade razoável e sem ruído.
 Flash, com e sem difusor – II
Por: Vivaldo Armelin júnior – Fev./16
• Neste exemplo prático mostramos o uso do flash direto, com uso de um difusor improvisado com papel vegetal e um com papel sulfite que rebate a luz para o teto.
• Para que seja possível fazer uma comparação mais adequada a primeira imagem abaixo e à esquerda foi capturada sem flash.
• O mais importante é fazer testes, pois a potência do flash varia de fabricante para fabricante e mesmo entre seus modelos próprios.
• Existem difusores para alguns modelos de equipamentos comprados em lojas especializadas, mas a maioria não é destinado aos equipamentos compactos.
• Além do papel vegetal, pode-se usar papel manteiga, papel sulfite de 70 g/m². Já para o segundo modelo de difusor é importante usar papel sulfite de 90 g/m². Nesse caso a altura do difusor deve ser pelo menos de 5 mm acima do flash.
• Difusor simples direcional colado com três pedaços de fita adesiva ou crepe.
• Difusor simples e fixado com fita adesiva ou crepe.
 
 
• As cinco imagens acima, da esquerda para à direita e de cima para baixo: 1. Sem flash, 2. Com flash direto (sem difusor), 3. Com difusor de papel vegetal (uma folha), 4. Com papel vegetal (folha dupla) e 5. Com difusor direcional (papel sulfite 90g).
 
• Como já foi destacado acima é importante fazer testes, pois a potência dos flashes variam muito, pois depende do fabricante. Por essa razão, muitas vezes é necessário colocar mais de duas folhas de papel vegetal ou manteiga sobrepostas para obter uma difusão adequada.
 
• Nunca usar cola, mesmo a chamada cola branca lavável. As fitas adesivas e a crepe são boas por não deixar resíduo.
 
• Acabado o uso, retirar o difusor para que a cola da fita não seque.
 
• O difusor pode ser utilizado em áreas com sobras fortes e dia ensolarado, em festas, ambientes muito iluminados por luz artificial de teto, foto macro, entre outras situações.
 
• Cada uma das imagens tem um resultado, mas o segundo tipo de difusor melhora com maior eficiência o ambiente, caso seja esta a intenção. Nas imagens com difusor o corredor ficou um tanto escuro.
 
• Para valorizar o(s) modelo, no nosso exemplo, seria necessário mudar de posição para eliminar o fundo (corredor).
 
• Uma boa imagem depende da composição/enquadramento, ajustes e até, se necessário do difusor e um rebatedor, não usado neste exemplo.
 • Boas experiências e resultados!
Flash – I
Por: Vivaldo Armelin Júnior
• Usei a câmera digital Canon Powershot A640 para as capturas, sem o flash, com ajuste via software e com o flash. Veja as diferenças. O ajuste foi feito no software Ashampoo Photo Commander, licenciado.
• A imagem da esquerda e acima foi capturada sem flash, condição que faz com que o equipamento se confunda com a área menos iluminada e a bem iluminada ao fundo. A segunda, à direita e acima, foi ajustada no Ashampoo Photo Commander, que melhorou a imagem, mas não resolveu o problema. Por fim a terceira imagem, acima e ao centro, foi usado o flash. A luz, pela proximidade produziu brilho e estouro de luz.
• Para resolver o problema basta colocar um difusor a frente do flash, que pode ser um modelo comercial ou improvisado com folha de papel vegetal ou manteiga.
• Outra solução é usar um tripé e reduzir a velocidade de obturação, caso seu equipamento possua esse ajuste.
• Ou ainda, ajustar o modo, como para o “Noturno”, este melhorará a iluminação do elemento fotografado e produzirá estouro no fundo. Testar outros modos também é interessante.
 • Boas experiências!
São Paulo - SP, Brasil
Voltar para o conteúdo