ISO-01 - FotoMBoe

Outubro/2019
“Fotografar é viver dos acertos e erros!”
Nove anos no ar!
Iniciado em: 01/10/2010
Novo visual e facilidade de acesso!!!
Ir para o conteúdo

ISO-01

Exemplo Prático > ISO

ISO 03
Por: Vivaldo Armelin Jr.
• Para esta dica usamos a câmera Fujifilm Finepix L55.
• O ajuste do ISO não foi compensado por outros ajustes, como o da abertura ou da velocidade de obturação.
• O aumento da luz sobre o sensor pelo fato do ISO ser ajustado para cima faz com que o peso da imagem final seja maior.
• As imagens abaixo foram otimizadas.

• Como destacamos acima o ajuste do ISO deve ser seguido por outros ajuste, do contrário poderá haver superexposição ou subexposição.
• É preciso saber que:
a- Quanto mais elevado o valor do ISO, mais pesado o será o arquivo final.
b- Quanto mais elevado o valor do ISO, menor será a ampliação da imagem, pois haverá perda de qualidade.
c- Quanto mais elevado o valor do ISO, há uma maior possibilidade de surgirem ruídos (pontos verdes ou vermelhos, por exemplo, indesejáveis).

ISO - Modo Automático.

ISO 100.

ISO 400.

ISO 800.

ISO 200.

ISO 1600.

• É possível perceber que o recorte de cada imagem produz um resultado diferente, os dois primeiros (Auto e ISO 100) tem melhor qualidade, já a imagem com ajuste ISO 1600 é a de pior qualidade, pois são percebidos uma quantidade bem grande de pixel.
• Há perda na quantidade de informações, da luz e das variações cromáticas.

Ampliação:
(de 360x270 para 480x360)
Imagem a cima e à direita
ISO 1600

Imagem à acima
ISO 100

ISO Elevado 01
Por: Vivaldo Armelin Jr.
• Nós já falamos sobre o ISO em outras seções do Site FotoMBoé, mas nesse momento vamos demonstrar o que ocorre com imagens com ISO elevado, no exemplo o máximo possível.
• Para este trabalho usamos a câmera digital compacta Fujifilm Finepix L55, sensor CCD com ½.3 polegadas, aproximadamente 7 mm na diagonal. A resolução é de 12 MP e o ISO varia de Auto, 100 até 1600.
• As imagens apresentadas foram capturadas com ajuste ISO 1600, o máximo possível. Não foi utilizado o modo macro e nem o zoom óptico, muito menos o digital.
• Não foi utilizado nenhum sistema de iluminação especial, apenas a luz natural que adentrava a janela.
• Todas as imagens possuem uma granulação que faz com que ocorra grande perda de nitidez. Essa granulação é um ruído que deforma e modifica as cores existentes na imagem.
• O problema já era comum nos filmes com ASA elevada, portanto não há grande diferença entre os dois sistemas.
• Como já destacamos o ideal é utilizar no máximo a metade do ISO total que o equipamento permite ajustar. Acontece que os equipamentos compactos simples possuem geralmente ISO máximo 400, sensor muito pequeno e a(s) lente(s) geralmente não são de boa qualidade, nessa situação o problema é agravado.
• Para mostrar mais claramente o problema ampliamos uma área em duas fotos, observe com atenção o resultado.
• Esse problema ocorrerá quando desejar fazer ampliações e até impressão em papel com tamanho superior ao “padrão” (10x15 cm). A granulação ou ruído é tão grande que deforma a imagem toda, na segunda imagem quando ampliamos uma área de uma ampliação a imagem foi totalmente “detonada”.
• Quando se eleva o ISO o número de cores capturadas pelo sensor será menor e em algumas regiões haverá uma explosão do pixel por não conseguir interpretar a cor, esse é o ruído. Não há como salvar essa imagem, mesmo usando softwares sofisticados e caros, esses apenas fazem ajustes, mas não milagres.

• O uso de rebatedor, flash, farolete de led ou outro tipo de iluminação artificial poderá auxiliar e melhorar a qualidade da imagem sem a necessidade de elevar o ISO ao máximo.

• Outras solução são possíveis, como modificar o modo, por exemplo, ajustando para foto noturna, esporte, retrato, paisagem etc.
• São opções simples e que auxiliam e garantem a qualidade da imagem.
• Caso seu equipamento permita, opte pelo modo “P” (Programa).

• Ampliação.
• Foto original.
• Foto original.
• Recorte e ampliações da imagem acima.
INFORMAÇÕES - ISO
Por: Vivaldo Armelin Júnior
• Câmera Canon PowerShot A620, ISO Auto, velocidade de obturação 1 seg., abertura do diafragma f/2.8 e modo “P”. A captura ocorreu com a câmera na mão e não no tripé, por volta de 1 h 30 min.
• Nenhuma das imagens passou por edição, tratamento, ajuste... ou seja, estão cruas, apenas foram redimensionadas para uso na internet com o software Ashampoo Photo Commander 12.
• Não estamos analisando o equipamento, já fora de linha na Canon, mas sim as possibilidades do ajuste do ISO, as condições de luz, a captura manual e no modo “P” (programa).
• Em outra oportunidade incluiremos nova orientações com a captura noturna usando um mini tripé, sempre variando o ISO e diurnas sem e com tripé nas mesmas condições.
• A análise da qualidade das imagens deixamos para você!
• O importante para dominar seu equipamento é conhecê-lo, para isso é preciso fazer muitos testes e experiências variando o ajuste e o modo.
Original
Recorte e Ampliação
• Nesta primeira imagem podemos observar que a iluminação foi analisada pelo equipamento, pois estava no modo ISO automático, de maneira diferente, ou seja a imagem ficou mais escura e a ampliação ficou sem nitidez e até fora de foco.
• Esse é o problema de fazer capturas noturnas ou com pouca luz segurando a câmera. Os pixels estouram, bem como o ruído.
• O fundo até se assemelha com o final do pôr do sol.
• O ajuste para ISO 100 produziu uma imagem mais escura e com um número menor de ruído, mas com os mesmos problemas citados acima.
• Mesmo com ISO 100 é possível visualizar muitos ruídos.
• Quase que não existem cores e estas são neutralizadas.
• A foto recorte e ampliada tem péssima qualidade.
• As áreas iluminadas ganharam destaque, mas aumentou o ruído e a granulação.
• Observam-se maior número de detalhes, mas como estava na mão há ainda uma certa tremida.
• Aumentou o númeiro de ruídos na imagem à direita, aque foi recortada e ampliada.
• Esta última fotografia tem ISO 400, por essa razão a iluminação do céu mais parece a de um anoitecer.
• Há também maior detalhamento das formas e cores, mas não são naturais.
• A imagem recortada e ampliada não tem qualidade e por ser muito elevado o ISO perde a beleza noturna.
ISO na Nikon L810 - 01
Por: Vivaldo Armelin Jr.
• Para este trabalho foi usada a câmera Nikon L810, uma câmera já fora de linha, superzoom que permite ajuste entre ISO 80 e 1.600. Essa câmera tem várias opções de ajuste e tem boa qualidade final de imagem.
• O importante é entender a relação entre o valor ISO e a luz. Primeiro, a luz é o elemento principal de uma captura fotográfica e o sensor o segundo, antigamente o filme, com suas possibilidades de ajuste do ISO, em outras palavras, a sensibilidade do sensor à luz.
• Como já foi explicado em outras oportunidades, quanto menor é o valor ISO, menos sensível será o sensor e o contrário, quanto maior o valor ISO, maior será a sensibilidade do sensor. Entendam que quanto mais sensível é o sensor, menor a quantidade de luz necessária para sensibilizá-lo.
• Na imagem à direita o ajuste foi para ISO 80, nem todos os equipamentos, inclusive profissionais permitem esse ajuste, muitos o mínimo é o ISO 100, produziu-se uma imagem bem iluminada e rica em detalhes.
• A primeira imagem, acima e à esquerda, deste conjunto de três é a original, que foi capturada com o ajuste ISO 80. Há um impacto quanto ao contraste entre as nuvens, mais escuras e as mais claras.
• Já a segunda fotografia, acima e à direita, sofreu um ajuste quanto ao brilho e contraste, mas é uma cópia da foto original à esquerda. Nesse ajuste aumentou-se o contraste, assim foi possível aumentar o impacto entre as áreas claras e escuras.
• Por fim, a terceira imagem, ao lado e à esquerda, foi convertida para escala de cinza, condição que fez aumentar o contraste e deixando a imagem mais impactante e assombrosa.
• Observe que a imagem original, por não ter ISO elevado, não tem ruído ou granulação, mas, dependendo das condições climáticas o ISO poderia ser mais elevado. Observe que nem sempre precisamos elevar o ISO em um valor mais elevado. Com o equipamento sobre um suporte estável, como um tripé, facilitará a captura. Outro detalhe é de que o céu ainda não está completamente escuro.

SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS:

• Todos os direitos reservados! É proibido imprimir, copiar, distribuir (mesmo a título de gratuidade), encartar, reproduzir (por qualquer meio mecânico, eletrônico, digital, fotográficos, filme, e vídeo), sem a devida autorização fornecida por escrito pelo proprietário do Site FotoMBoé.com. Todas as imagens (desenhos, pinturas, ilustrações, fotografias, vídeos etc.), textos, slides show, galerias, apresentações (em Flash, exe, html etc.) foram produzidas por Vivaldo Armelin Júnior que é o detentor dos direitos autorais.
• É permitida a abertura exclusiva online, qualquer outra possibilidade é necessário autorização por excrito, como acima descrito. Contato por e-mail.

São Paulo - SP, Brasil
Voltar para o conteúdo